Candeeiro - Bordado "Viana Castelo"

Candeeiro - Bordado "Viana Castelo"

Ref.: BTV-IP-CQ-CZ

Disponibilidade: Em stock
Levamos até si o genuíno Bordado de Viana do Castelo!

Este Abajur em 100% linho constitui uma verdadeira obra de arte contemporânea, demonstrando a singularidade e riqueza deste bordado.

Totalmente realizado à mão, durante semanas de dedicação, por parte da nossa artesã, desta região, devidamente certificada e diversas vezes premiada. 
Uma verdadeira Herança cultural!


 

Caracteristicas

Diâmetro
Altura
41 cm  
30 cm

 

 

 

 

BORDADO TRADICIONAL DE VIANA DO CASTELO


O bordado de Viana do Castelo é um bordado alegre, dotado de uma riqueza genuína, efectuado em linho e/ou algodão, numa inspiração campestre e ao mesmo tempo romântica!


Os seus motivos e composições principais são as japoneiras, camélias estilizadas com os respectivos centros em crivo, as hastes, dando especial ênfase aos grandes corações.


Cores Tradicionais deste Bordado: Branco, Azul e Vermelho.


Cores contemporâneas: Bordadas nas mais variadas cores e suportes, surgem hoje em dia novas composições dos motivos tradicionais, que inovando, não descuram a matriz genuína desta produção artesanal. 

As diferentes etapas do cultivo do Linho: Sementeira, rega, arrinca (colheita do linho) e processo de alagamento do linho.

Fases de Preparação das fibras para utilização têxtil: maçagem e gramagem, espadelagem e assedagem correspondendo estes últimos a atividades exclusivamente femininas (separação das fibras lenhosas das fibras têxteis e seleção do comprimento e finura que apresentam).

Finalmente a produção têxtil: técnica de fiação por roca e fuso e branqueamento das meadas por cozimento e secagem. O fio das meadas é então objecto do processo de dobagem para fins de urdidura da teia (disposição dos fios no tear). A roca e o tear são neste processo instrumentos centrais da atividade de transformação do linho em produto final como tecido.

A fiação e tecelagem subsistiu praticamente sem alterações ao longo dos séculos até ao nosso tempo, no entanto devido introdução de outros produtos têxteis, a produção do linho foi decaindo e por vezes as bordadeiras têm que recorrer ao linho industrial português, criteriosamente selecionado.

“Se o linho não for bom, o bordado não sai perfeito, perde-se tempo e fica-se sem trabalho!” Bordadeiras CRIVART

Em Portugal, os bordados apresentam a toponímia dos locais onde se fixaram.

As regiões que dão origem ao nome dos bordados estão relacionadas com a presença da corte e elites sociais nesses locais,
bem como da existência de conventos de ordens religiosas femininas.
A Crivart usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de cookies. Saber mais